domingo, 14 de dezembro de 2008

Eu, Minardi e Capitu


EU X DIOGO MAINARDI, da revista Veja

Gostaria de saber se o caro Diogo Mainardi leu a obra Machadiana ou assistiu a série Capitu com um olhar um pouco menos preconceituoso e pseudo-intelectual. Admito que a forma que o diretor da série usou técnicas nada usuais para ADAPTAR o livro Dom Casmurro, o que o, não sei se jornalista ou figurão, da Veja, chamou de “circo”. Mainardi, em sua onisciência e sabedoria, pergunta onde está Machado de Assis na minissérie; eu digo: na recepção do telespectador. O leitor de uma obra, apesar do autor ter escrito de uma forma, possui uma multi-perspectiva da obra, várias interpretações, logo, independentemente de dizer se Machado está ou não na minissérie, é melhor perguntar: “Machado está no modo como eu li seu livro?” A sociedade brasileira, mais precisamente a geração jovem (vide: futuro da nação), que mal e parcamente sabe ler e escrever, lê pouco ou nada. A literatura está afastada e hostilizada no meio que não deveria ter saído: a escola. Se, e não estou brincando, Mainardi perguntasse a um aluno de uma escola municipal quem foi Machado de Assis ou como é a obra dele, digo, pelo menos em minha cidade, que este aluno não saberia responder, pois este está mais preocupado sobre o funk mais recente ou se a Juliana Paes vai tirar ou não a roupa no comercial de cerveja. Se a ADAPTAÇÂO (logo não é a obra integral) fosse ao estilo de época, haveria menos espectadores, pois o horário destinado aos programas Cult é após a outros banais e idiotizantes, como Toma lá, dá cá, zorra total, casseta e planeta, etc. Daí a importância de meios mais inteligentes e menos maçantes para apresentar o belo mundo da literatura para o povo, alunos. Então, se após esses programas (tarde da noite) há poucos assistindo televisão, se a minissérie fosse em estilo “normal” e não “circense” seria CHATA. Isso digo eu, aluno de um dos colégios mais respeitados no Brasil (incluindo na constituição brasileira), admirador de Machado e escritor amador.

A série, pouco se distanciou de minha interpretação desta obra, quando a li. Bentinho, diante de seu ciúme e paranóia, é seco e desencantado no livro e continua, mesmo depois de velho, submisso e influenciado por Capitu, morta, através de todo o fascínio, beleza, dissimulação, e encanto de cigana dos “olhos de ressaca”, figura que a minissérie quis aproximar a popular interpretação de adúltera, quando nada podemos afirmar. José Dias é um vigarista, canastrão, não um muttley como foi chamado pelo senhor Diogo Mainardi. Admito que muito que foi tirado do texto original poderia estar na adaptação, e que Machado é mais complexo que isso. Mas ele não é zombado pela sociedade mesquinha que ele zomba. Para mim, foi uma experiência gratificante assistir essa obra, eu, que sou preconceituoso com adaptações, sejam elas televisivas ou teatrais, das obras, que, para mim, não devem ser alteradas. Eu, confirmo, fui seduzido pelo aspecto estético, musical e teatral apresentado pelo diretor, e consegui ter várias idéias para contos e poemas que de forma contrária não teria. Não foi uma minissérie abarrotada com aparatos e vestimentas rebuscadas que poucos entenderiam, mas minimalista na forma visual e menos apelativa, preocupada em tentar (outro ponto que admito: Machado realmente estava muito diluído na adaptação) preservar a “paternidade machadiana” e aproximar/paralelizar a obra com a realidade que vivemos, num dinamismo maior do que o método de ensino da literatura nas escolas. Se alguém abastardou Machado, eu ouso dizer que foram aqueles que ou não entendem-no ou não querem entender.

Então, se o senhor Diogo Mainardi quiser outra vez criticar ou depreciar uma adaptação, quer seja mal feita, mal interpretada ou distante do que o autor escreveu, que pelo menos tente entender a mente por trás do texto original e a nossa banal atualidade, fraca e sem futuro.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Não é mentira


-senhor deputado, já coloquei o jantar na mesa, lavei seu carro, arrumei a casa, dei banho no cachorro, coloquei a colcha de algodão egípcio na sua cama...desejas mais alguma coisa? - pergunta o criado
-sim - responde o deputado - quero sua identidade, sua casa, sua mulher, sua carteira e um aumento no meu salário.

abraços libertários

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Á nudez, nossa nudez miserável do tédio humano


Um aviso:
como estou ocupado com testes e provas, e com muita preguiça, talvez fique algum tempo sem escrever.
Post:
Como debate sobre a nudez nas obras artísticas cinematográficas está a todo o momento chegando a mim, quis expressar minha humilde opinião. O que é nudez? é estar sem roupa. óbvio! será mais do isso? despir totalmente a alma e deixá-la crua nas telas televisivas e cinematográficas? para mim, um corpo nu é um corpo nu.
Mas não digo que seja sempre a mesma coisa. Nu artístico é usá-lo como símbolo de algo maior,talvez até fora da compreenção humana.Há beleza num corpo nu, e ainda mais um corpo feminino com suas curvas e brilhos, do que num masculino reto e superabundante em músculos made in bomba. O jeito que é exposto nas apresentações domésticas e comerciais (cinema), não é mais arte, é apelação para a banalização do corpo e do sexo, numa sociedade a vê-los em quase tudo: desde uma garrafa de cerveja a uma top model anoréxica com atrofia cerebral, que centenas e milhares de adolescentes e suas espinhas idolatram nas revistas da playboy como se fossem deusas, quando são apenas lipo e silicone.Nada mais.O que vemos não chega a ser pornografia, como insinua Pedro Cardoso, mas a decadência da falta do que fazer, do que escrever, que é suprido com imagens tão comuns a nós no carnaval.Sinceramente, quanto mais nos expomos a isso, mais idiotas instintivos nos tornamos, chegando à miséria humana.Mas não sei como anda as produções atuais, vizto que madei minha TV pela descarga há muitos meses.
Conclusão: Nu só com moderação.
Ao persistirem os sintomas um médico deverá ser procurado.

abraços libertários

domingo, 5 de outubro de 2008

Sou um criminoso!


Sou um criminoso: não votei.Sou um crimonoso.
Sou um criminoso por querer algo mais em meu país, mais meu do seu, mas de todos (isto não é uma propaganda do governo, apesar do slogan),
querer dormir direito à noite sem barulhos de tiros a minha janela,
querer sofrer um acidente e ser tratado decentemente no hospital público,
querer aprender coisas que não serão jogadas pela descarga do meu vaso a fora,
querer pagar imposto (tá, não quero pagar imposto, mas é o jeito, né?) e saber que não foi para pintar a parede da casa do cachorro da afilhada da sogra do vice-prefeito de jardinzinho,
quero votar em um bom político, e não nesses ai, que sempre aparecem, mas nunca desaparecem da cena política, e, pergunta: alguém já os viu trabalhando?
Enfim, quero sonhar sonhos que se tornarão realidade (isto também não é propaganda da Disney)!
E, meu amigo leitor, quero que saiba, e bem sabido, que sempre gostei de você.Se de madrugada, a porta de meu apartamento for derrubada, e meu estilingue me proteger,e for preso, e desapareça, quero que saiba....que foi o senhor marinho, na sala de jantar, com o castiçal, com a ajuda do mordomo, amante da dona branca.

abraços libertários

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Procura-se Samara e Ace ventura


Meu amigo, há tempos que não o via, lhe falava ou lhe escrevia....Ó vida de relógio! Mas volto a ativa para um simples protesto, um desabafo, em meio a dores-de-cotovelos e enjôos (nota: se o acordo ortográfio já estiver em uso, por favor desconsidere o acento do vovô).
A indústria cinematográfica é estranha, por vezes beirando o bizarro: uma hora nos emociona, nos arrepia, e outra nos faz ter vontade de pular de uma janela, afogar a cabeça no vaso ou cortar os pulsos pelas porcarias que produz.Simples....ou não.E venho como rústico espectador reclamar, nesta entressafa de filmes, das corriqueiras MERDAS que aportam por aqui.Há anos (a long time ago..., como dizia George Lucas) que não encontro uma comédia ou um terror decente!
"Ó triste mar salgado/ quantas de tuas águas são lágrimas (...)" minhas.Se Fernando Pessoa fosse vivo, tão certo desgostaria pelo uso de seus versos aqui.Mas voltando ao assunto, os roteiros são Horríveis!! sempre sei o que vai acontecer! O belo explorado nas comédias é o pesadelo de Oscar Wilde (com certeza!) e de tão banalizadas e passadas, sempre tem: um anão, uma loira siliconada, travestis, piadas indiretas/diretíssimas de cunho sexual (quase o filme inteiro!). E os terror: um demônio ou um assassino serial, estudantes, um idiota, outra loira siliconada (que já apereceu no filme anterior) e só sobrevive um no final da história, e, claro, muito sangue e efeitos especiais.Sem falar que ambos tem infinitas continuações."todo mundo em pânico 96" e "jogos mortais 50".Tá, que o jogos mortais 1 foi bom, mas os outros foram cópias.
E mais, nem novela mexicana (nota: odeio novelas, principalmente com josé e maria como principais, a irmã gêmea do mal consuelo, roberto corno e dublagem atrasada), é tão ruim!
Nos áureos tempos holliwoodianos, até o final dos anos 50, quando as mulheres eram donas de casa, os carros com rabo de peixe e Raul Seixas ainda não completara 10.000 anos de aniversários, os roteiros eram novos e tinham qualidade - "I sing a little...alguma coisa (ver dançando na chuva).Onde está jim carrey? ele é a graça nos humoríticos que fez!
Bem, deixo essa mensagem aos Ets, que voltaram para casa após fugirem da Área 51 de Rooselt e Varginha ou para a posteridade que encontrar meus ossos, quando escavarem o canteiro de plantas na calçada para a construção de um shopping ou um estacionamento.
Um gole de uísque e o último suspiro na roleta russa, pois sou um condenado a um descanso das têmporas.

abraços libertários

ps: próxima enquete: quem deve ser o mascote deste blog: o coringa, o patolino ou um cara no vaso?

sábado, 20 de setembro de 2008

cegueira X moralidade


Meu amigo leitor (a), este post não é uma propaganda, nem algo do gênero, mas apenas uma exposição de idéias que me ocorreram ontem ao ver "Ensaio sobre a Cegueira".

1º) a moralidade humana é hipócrita.
Nós criamos preceitos para a melhor convivência entre nós ou para uma recompensa pelo inferno terreno que simplesmente não obedecemos, e mesmo assim ainda esperamos que o outro siga-os.

2º)uma linha tênue separa a razão dos instintos animais.
basta que certas coisas não aconteçam dentro da normalidade para nos "esquecermos" de milhares de anos de sociedade para aflorar nossos instintos: poder, disputa, sexo, sem nenhuma preocupação ou punição, numa guerra de todos contra todos (Hobbes).

3º)Os serviços atuais são frágeis.
Se alguma pane, defeito ou qualquer outra coisa acontecer a uma parte do sistema, todo o ele se descontrola.E como estamos acostumados a viver segundo um protetor (Estado), este perdendo seu poder de apacentação (ou pressão) gera um vazio na mente humana, que se torna incapaz de escolhas e perde os valores morais.

4º) O Estado e a ciência são falhos.
Se uma guerra ou doença for em maior escala que a atualidade, eles perdem o controle e cerceiam a liberdade e a informação ao indivíduo.

5º) As relações humanas são mutáveis.
Basta uma coisa pequena (no filme, a cegueira) para gerar uma onda de pânico e as relações humanas, sociais, se modificarem.Por exemplo, o 11 de setembro polarizou novamente o globo em ocidente X oriente, ser humano X religião, respeito X dominação.

6º) nós criamos a religião.
O homem cria deus como deseja, como os gregos, maias, astecas, incas, egipcios, romanos, babilônicos, chineses, judeus.... cada um de uma forma.No filme, após todos ficarem cegos, eles "cegam" os santos e cristo, para torná-los semelhantes a eles.

Moral do filme? em minha opinião, é incomcebível uma frase ou banais palavras resumirem todo o conteúdo.O filme inteiro é sua moral, que para cada um é diferente.Se eu pensei estas coisas, outro pode não pensar.

Seja como for, José Saramargo criou uma ótima ficção.

abraços libertários.

ps: ainda não entendeste o que falei meu amigo (a)? então veja o filme.

domingo, 14 de setembro de 2008

Cripta Uerj (conto de terror ou suspense?)


RETIRADO DO AR POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR


CRIPTA FECHADA!


BOM DESCANSO.

sábado, 13 de setembro de 2008

basta de 1808!


Meu amigo leitor, simplesmente cansei de assistir as "comemorações de 1808".Já bastava toda aquela festa no começo do ano, e ainda por cima tenho que continuar a ver isso nas aulas a essa altura do campeonato?
Não há motivo para tanta exaltação pelos 200 anos da vinda da família real.Se hoje somos o "único país gigante da América Latina" foi devido a imposição brutal dos interesses lusos desde a exploração de nativos por tão reles dinheiro de madeira à escravização de indivíduos da longínqua África e humilhação, de todas as formas, de quem veio morar nesta terra.Claro que foram casas reais distintas que fizeram tais atos, mas todas sempre utilizando do autoritarismo para garantir os luxos da corte portuguesa.D. João e CIA, pertenciam à dinstia Bourbon e Bragança, responsável por atos odiosos de repressão violenta dos que queriam liberdade.Sendo assim, em nome dessa rubra "união", sepultaram ideais á grandes preços, seja no enterro de nobres homens ou nos choros, soluços e ranger de dentes de mães, esposas e crianças, agora sem pais, da Inconfidência Mineira, Revolução pernambucana á confederação do equador e farroupilha, dentre outros.Sempre fomos coniventes de nosso assassínio! Já dizia Rousseau: "O homem nasce livre e por toda parte é posto à ferros".Ora, se aqueles bravos homens queriam liberdade, que lhe fosse concedida! Mas por medo de perderem a "autoridade", os governantes os mataram. E nós os ajudamos! seja no nosso silêncio ou no nosso comodismo (que perdura até hoje)!
Olhando o hino nacional em meu livro escolar meus olhos se deparam com frases e palavras inexistentes em nossa realidade:"povo heróico", "liberdade", "igualdade", "grandeza", "mãe gentil", "pátria amada"...Os governos aqui são totalmente diferents dos imaginados pelos iluministas: sempre pensando em seus interesses particulares, em vez do povo (desde os lusos tempos em nosso "berço" imundo de bordel até esta "república" nascida nos cafezais, criada em quartéis e agora, adulta, permanece igual, mas de terno)."gigante pela própria natureza"? só se for de ignorância! nós vendemos nossas almas e as mazelas continuam."que coisa, não?"
Nada mudou desde o início: elite no poder com sonho de grandeza, povo pobre que agora já sabe o ABC e o 123.Só! Quem deseja um algo mais, uma liberdade, é morto socialmente ou se desilude e se acomoda 9pois fomos ensinados que quem se revolta se ***), além de ser considerado louco, vagabundo, arruaceiro e inimigo do povo.
É por isso que me recuso a comemorar a fuga desses palhaços mimados (mas eles não têm graça!), responsáveis por sangue, causa direta de nossa "unidade".
A nós só resta:"um sonho intenso...de amor e esperança" para o futuro.

abraços libertários

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Don't worry, Be happy - jantar em família


Os que lerem este post agora não entenderão, mas eu sou um fraco.Sou um covarde, um maluco medíocre.O Conto a que o título faz referência foi retirado do ar por mim por ter medo de o copiarem.Hoje, a melhor forma de se plagiar algo é pegando da rede, e como sei que muito mais gente do q todos que comentam, visitam este blog, não tenho como controlar que lê meus posts.Sendo assim, o conto Jantar em família está suspenso.por favor, desculpem o trasntorno.

abraços

sábado, 6 de setembro de 2008

Deficientes, ruas e trogloditas


Outro dia estava andando na rua, lá perto da casa da Mariazinha, e vi que um homem numa cadeira de rodas estava tendo dificuldade de entrar no colégio do filho porque não tinha rampa de acesso para portadores de necessidades especiais.Muitas pessoas estavam pasando pelo local e ninguém ajudou.Até que ele desistiu e foi embora.Ai, fiquei pensando como deve ser a vida desse jeito: calçadas esburacadas (não são perigos exclusivos dos idosos e das madames de salto alto); desnivelamento ou falta de inclinação entre a rua e a calçada; poucos prédios e estabelecimentos adaptados (já pensou ter que entrar pela garagem todo dia porque a portaria não tem rampa?); preconceito; e o superávit de trogloditas que fingem não vê-los para não ajudá-los, ou que ficam fazendo piadinha.Sacanagem! E isso não acontece apenas com cadeirantes, mas com outros deficientes motores, visuais, auditivos, mentais, e etc...
E o que eu já ouvi de histórias semelhantes de uma amiga minha popularmente tachada de "cega", é impressionante.Sem falar que a maioria da população pensa que quem possui alguma necessidade especial é um pobre coitado, sem direito à liberdade, autonomia , vivendo às custas somente da boa vontade dos outros.Mas nem todos são assim, há aqueles que não se deixam abater pela limitação de alguma coisa e buscam seu próprio espaço na sociedade, como minha amiga, que nunca permitiu ser reduziada a uma incapaz, lutando firme pela sua integração ao espaço e independência.Então, voltando ao ponto de partida do post, é importante que aquela escola tenha uma rampa para quem precisa.

abraços libertários

ps: alguém se lembra das paraolimpíadas?

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Professores, amizades e um copo de maracujá


Eu realmente não me entendo.Gostaria de estar escrevendo sobre política, e agora, ano eleitoral, é um ótimo período para minha safra de acusações.Entretanto, acontecimentos diversos têm tomado a bastilha de minha atenção, leganso reflexões mais e mais difícies e nojentas no meu querido vaso, antes do banho.Prometo que este será o último post banal que publicarei.
Minha escola, meu amigo leitor, como já disse outrora, sofre de muitos problemas, somados com a incapacidade do povo carioca (ou seria brasileiro?) de analisar e pensar acerca de diversas coisas em um sistema amplo, ao invés devê-lo como isolado.Meu colégio carece de propostas educacionais significativas para melhorar o ensino das exatas e para ajudar aos alunos, cagou pra todos e prefere ensinar a base do cocô do cão a ensinar as disciplinas adequadamente.O pior problema é física!
Todas as turmas em que o professor I (óbvio que não colocarei o nome real) leciona estão a ponto de cruxificá-lo, pois não segue a cartilha vigente e faz de tudo para que seus alunos estudem e aprendam a matéria.Admito que as provas dele são em um nível maior que os exercícios do livro, mas não são impossíveis.É só estudar.Mas taxam ele de desalmado se coração, terror de criancinhas, e por ai vai! Afinal de contas, que coisa doida ter que estudar para aprender, né?
Então, eu, lobo solitário, estou criando uma guerra contra todos (quase a frase de Hobbes) para tentar salvar um professor que tira um pouco da monotonia de lá.Não pensem que eu sou um bajulador, pois não sou, porque eu sou um dos muitos que estão em recuperação na disciplina dele, a diferença é que não sou vingativo sem motivo.Sou realista.Então, se algum dia meu corpo aparecer boiando na praia, já sabem o motivo!
E para completar, ainda tenho que suportar a decepção de uma grande amizade que acabou.Uma amiga disse-me que queria dissolver nossos laços de amizade por não suportar estar perto de mim sendo apenas uma amiga.Claro que não sou insensível, entendo que é horrível amar uma pessoa que só quer sua amizade.Quando eu me aproximei dela, sem segundas intenções, deixei limpidamente que só seríamos amigos.Té ai, tudo bem.E depois de longos meses de uma ótima amizade, para ambos os lados, ela me vem com essa? simplesmente é uma decisão infantil, de destruir uma amizade (que segundo Epicuro é o melhor prazer da vida) por causa de um amor estúpido (segundo os etóicos, algo a ser moderado), que mais parece ser apenas atração.Depois, me pediu para agir como se não a conhecesse.Estou cumprindo muito bem esse papel, pois não a quero ver nem pintada de ouro! E acredite, meu amigo, as amigas dela de chamaram de frio! Não sou frio, sou sincero.O que ela fez foi infantil! apesar de ela ser mais velha que eu, vi e vivi coisas que são capazes de empalidecer qualquer um, fazer um padre chorar, um corrupto virar honesto, e se eu digo, que por mais que pudesse ser dificil manter a amizade, ela seria capaz de aguentar tudo e nossa amizade seria ainda mais forte.
Mas nada que me pertube o sossego.Ainda continuo na rede, tomando maracujá vendo o sol adormecer e o violão desembestar a cantar.

abraços libertários

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

pão françês e o 1 centavo


Este post será bem banal, logo se você espera um dos meus ataques de criatividade, é melhor sair agora deste blog, afinal, já conhece o caminho, não é?
Em meio a Rammstein e sepultura, Oscar Wilde e um livro de minha autoria, fico pensando na cena que acaba de se passar.Hoje, como nos outros dias, fui na padaria comprar 15 pãezinhos.E como sempre, além do preço ser um assalto a classe trabalhadora (e não trabalhadora), o meu troco veio incompleto.Deveria ter recebido 1 real e 17 centavos.Recebi só R$ 1, 15. 2 centavos a menos! não, eu não sou pão-duro! (desculpe o trocadilho) Mas se meu troco era X, eu deveria ter recebido X.A matemática que a tia Luluzinha me ensinou era assim, ou 2000 anos de matemática mudaram em 7 anos? Acho pouco provável! Quando compro um CD virgem, que custa R$1,01, e pago com 2 reais, recebo 1 real de troco, e não 99 centavos.E aquelas lembrancinhas de 1, 99, saem por 2 reais.Se você, meu amigo leitor, pensar, verá que as moedinhas de 1 centavo desapareceram da face da terra! por isso, quando encontrei uma enterrada num canteiro da rua, a peguei e a promovi a minha moedinha da sorte! Sem falar que contribui para a inflação esse défit de centavos, pois se não se cunham mais moedas de 1 centavo, logo falta troco, que é substituído por moedas de 5 ou 10 centavos.Mas A não é igual a B se não tiver uma outra equação que altere essa situação.Se falta dinheiro, a casa da moeda fabrica mais moedas de 5, 10, 25, 50 e até 1 real.depois vem as notas de 2 (pq as de 1 não são mais fabricadas - se pereceber, meu amigo, só existem notas antigas de 1 real, nenhuma nova!), de 5, 10, 20 e 50 reais.Quando mais dinheiro emitido, mais diheiro disponível, os preços sobem, o consumo diminui = inflação.Deve estar se perguntando, e as notas de 100? são artigos raros, que se aparecerem em quantidade, perdem o valor.Se perderem o valor, o real quebra, e o Brasil entra em crise, levando a um colapso financeiro, aumento da miséria e da fome, da criminalidade, dos homicídios, da dívida externa e por fim, tumultos, desordem, insatisfação popular contra o governo e finalmente, um golpe de Estado! numa variação de nazismo e ditadura militar ou comunismo e ditadura militar (todas essas coisas são ruins, do meu ponto de vista, pois retiram a essência, a liberdade, do indivíduo, levando-o a uma morte sócio-academica-psicológica e/ou fisicamente também!)
Sei que minhas noções de economia são um tanto fracas, mas a análise faz sentido! por isso, vou começar a procurar e estocar moedas de 1 centavo para evitar eventuais torturas que eu, ou meus filhos futuros, possamos sofrer."se os sintomas persistirem, um médico deverá ser consultado".

abraços libertários

ps: votem na enquete, pois já está terminando.Ah, por favor deixem sugestões para a próxima.Obrigado pela sua atenção!

terça-feira, 26 de agosto de 2008

tensão, provas, calmaria e músicas estrangeiras


Após tanto tempo, nem acredito que posso enfim ter um descanso das provas por 5 dias, até o ENEM domingo.Suor, desespero, gritos e um ou outro em don't worry, be happy no meio das pessoas, zumbies ao invés de vivos, naquele prédio abandonado, outrora escola.Não, não é filme de terror, mas como se portam os adolescentes na tão temida semana de provas.Por mais que eu tente entender, não consigo me imaginar nervoso antes de qualquer prova, como uma pessoa normal.Fico ali sentado, ou em pé, conversando e ouvindo música, enquanto rodas de livros e sons se formam sem aviso no chão.E eu e meus amigos arranhando qualquer coisa em inglês, françês, espanhol... - por mais que tente, não consigo cantar uma música em outra lingua -, zuando e esperando o horário da próxima prova pra voltar pra casa e aproveitar o dia (teoricamente estudando). Já até me repreenderam por não mostrar qualquer preocupação com a avaliação que viria, mas como disse o mestre sensei tibetano lá em kalamandu, quando a lua está minguante, marte está a 45º da terra e o sol nasce avermelhado-azulado, a prova se ilumina e revela todas as respostas.E isso só é possível no país da guanabara.Mas nada como uma tarde de terça, antes de outra aula de curso para relaxar e xingar o governo/eleições lendo o jornal O Globo.

abraços libertários

ps: sei que este texto está horrível, mas não tive outra idéia nesse momento.Qualquer sugestão, deixe um comentário.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Provas e gravidez


Como não tenho muito tempo agora e estarei um tanto ausente pelas provas que virão agora, vou narrar uma história que volta e meia se repete por ai.

Tenho um amigo tão doido quanto eu, porém mais descuidado.Estava eu no recreio, esperando com bocejos gigantescos o intervalo passar, quando veio este meu amigo.Vinha brincando omo sempre, mas repentinamente seu semblante mudou."tenho uma coisa séria para te falar".Nada demais até ai."talvez eu seja pai...".Na hora eu pensei que ele estivesse zoando."é sério, a ____acha que está grávida".Pensei: "Nossa!"."a mestruação dela tá atrasada 1 mês".Pode ser que só tenha atrasado, talvez não seja nada."o pior não foi ela ter me acordado hoje às 5 da manhã para me contar isso, nem eu ter xingado ela, mas ela tem namorado e tem um caso comigo".Bem, isso eu já sabia..."mas ele é um negão de 2 metros, forte p/ caramba e sabe que é traído!".O cara era corno assusmido!só pude dizer: aff....se o filho for mesmo teu, assume, senão cai fora pq vai sobrar pra ti.Ele riu tristemente e foi embora....2 semanas depois, ele me disse que fora só um susto, que ela e o namorado ainda estavam juntos, e ela ainda o corneava com ele.Fim da história.

abraços libertários

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Mais cansativo que horóscopo


Hoje, meu (minha) amigo (a leitor (a), mais uma vez peguei o jornal para ler e advinhe: igual ao de ontem! conflitos entre a geórgia e a rússia, inflação, rixa entre israelenses e palestinos, tremor na venezuela, combates nas filipinas, crise na bolívia, eleições (que ocupam boa parte do jornal) descobertas no ramo da invisiblidade...É.Nada de novo.Não, isso não é um post, é só um pensamento, daqueles que brotam do nada (que é quase tudo) e depois desaparecem...por um tempo.
Outro pensamento: o que acha da confusão que está acontecendo sobre apagar ou não conteúdo na internet? quem sabe ela toda?

só isso...afinal, não tenho tempo para escrever nada hoje.

abraços libertários

ps: pensei que o post sobre a AIDs X criminalização iria render debates acalorados, mas parece que não.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

item urbano obrigatório: um cano de ferro


Meu amigo leitor, hoje passei por uma terrível experiência.Claro, que já havia já experimentado tal situação, mas foi a primeira em que entrei em pânico.O dia começou normal.Acordei e fui levar meu irmão ao colégio.Isso era meio-dia.Passei por 2 tipos estranhos: um homem de uns 40 anos e outro de uns2o e alguma coisas.Mas fui andando de minha casa até o limite de Vila Isabel com a tijuca, até que cheguei ao colégio dele.
Voltando para casa, percebo que as 2 figuras ainda estavam lá, bem atrás de mim.Fingi que não vi e fui andando.Perto de casa, vi que eles estavam se aproximando mais de mim.Como não sou burro de levar bandidos pra casa, continuei seguindo por outros caminhos. 1 hora e três bairros depois, eles ainda estavam lá.E por mais, que entrasse em ruas e mias ruas, mais eles cochichavam e me encaravam.Eu estava com uma bermuda e camisa surrados, chinelo, antes verde, agora preto, despenteado, cara de sono, e de óculos.Sem carteira, dinheiro, ou celular.Só com as chaves de casa.Se eu parasse ou tentasse fugir, no mínimo eles me espancariam por eu não ter nada para eles levarem.Mas continuei andando.Fui entrando em lojas, bares, conversando com desconhecidos toda vez que eles se aproximavam muito.E sempre contava minha história.Ninguém queria me ajudar.Até que parei num ponto de ônibus e comecei a conversar com um fiscal, negro, alto, e forte.Eles seguiram e pararam numa banca de jornal logoapós.O fiscal, os encarou e foi comigo até a porta de um shopping....para avisar o segurança de lá.e foi embora.Fiquei ainda conversando com o cara por mais 1 hora, até que me expulsou.Desprotegido, estava desde o início procurando um policial.Nada.Ningue´m em casa para que eu pudesse ligar, a cobrar, de um orelhão.E os ladrões ainda estavam me esperando.Não acreditei.2 horas, quilômetros percorridos, eu sem nada para rouvar, mais parecendo um moleque de rua, e eles não haviam desistido de me assaltar.Voltei pro shopping.1 hora e meia depois, eles haviam ido embora.Podia, enfim, voltar para casa, sujo e suado.....a pé! Onde estão os bom samaritanos ou policiais? mais uma prova como a sociedade está no fundo do poço.....

quinta-feira, 24 de julho de 2008

ida ao cinema


Os que me conhecem, certamente irão estranhar o que eu falarei agora: eu sou um cinéfilo! pronto, admito! verdade nua e crua; tal qual veio ao mundo, e destrinchada por uma faca cega, em pedaços desiguais e banhados em sangue, em sua verdadeira grandeza.Por que falei isso? são poucos os filmes que realmente me agradam e/ou que me fazem pensar horas e horas após.
Ontem eu vi três filmes, apenas isso, três filmes.Um no computador e outro na promoção do iguatemi.E quero falar sobre eles.Por isso eu disse que me estranhariam meus conhecidos.Então, ao som de sepultura, vamos aos comentários

1) Juno
muito bom! uma adolescente que foge ao clichê de "idiotinha assustada" ao saber e no decorrer da gravidez.Tudo bem que ela recebe um choque ao se descobrir grávida, mas mantém a racionalidade (ou a frieza) e não só conta ao pai (e a madrasta) como também ao amigo/pai da criança e decide dar o bebê ao invés de realizar um aborto.Claro, se ela fizesse um aborto, tudo seria mais fácil, mas aí não teria filme...A família da garota não é aquela "família certinha dos anos 50" nem uma totalmente "desestruturada anos 90", mas uma bem incomum.A personagem centro é quase sempre fria, roqueira, "sem noção", com humor ácido e muito esperta, que não foi manipulada para o sexo, mas a idealizadora do ato.O amigo é um imbecil.ponto.A família "receptora" do bebê (perdoe-me meu amigo , amiga leitora, por tal classificação, mas é um comércio esse fato de adoção mesmo que nem sempre haja transação financeira) é teóricamente perfeita a primeira impressão.Mas depois vê-se que a esposa é um robô, que as mães desejam que as filhas sejam (trabalhadoras, certinhas, e mães exemplares, cujo único pensamento é voltado para a família) - por favor, perdoe-me por utilizar tantas vezes a palavra "família", mas estou um tanto confuso em encontrar outra similar - e o marido, um homem de uns 40 anos com complexo de adolescente rebelde.O que basta comentar deste filme é isso.Ele é satírico, original e frio.

2) hancok

Hancock é um super-herói, bêbado e anti-social, que perdeu a sua popularidade entre aqueles que ele protege quando suas tentativas de resgate nem um pouco convencionais provocaram um terrível caos na cidade e prejuízos de milhões de dólares. Durante um resgate, Hancock conhece Ray Embrey, um agente de Relações Públicas fracassado que se oferece para representar e recuperar a imagem pública de Hancock. Quando a mulher de Ray, Mary , e Hancock se encontram, ocorre uma inexplicável e imediata conexão entre os dois. Após muita resistência, Mary finalmente revela que ela também possui superpoderes e que haviam muitos como eles que se uniram e morreram (lê-se: se uniram em matrimônio, se tornaram "mortais" e perderam os poderes e a vida) e que eles eram predestinados, logo em seguida, Hancock começa a perceber que seus poderes estão perdendo força.Depois de mó rola que acontece, hancok decide ir embora para que mary recupere os poderes (e a imortalidade) e viva feliz com Ray, e se torna um real super herói.2 coisas ficam sem explicação: qual é a origem dele e o que significa a maldita águia que aparece o filme todo, um simples símbolo, a águia de Zeus, sei lá...Não vale a pena ver

3) batman

Esse último batman é simplesmente brilhante! Bruce Wayne finalmente se transforma no cavaleiro das trevas e toda a sua friez.O coringa é o melhor de todos.Realmente aquele ator que morreu a pouco se superou. Esse coringa é o mais insano, psicopata e sarcástico que eu já vi! e eu já assisti a todos. Esse palhaço demoníaco mostra não só a sociedade (não somente a norteamericana), a ruína dos valores, a corrupção e a ineficiência da força pública para conter lunáticos que estejam prontos a atacar. e no final, o promotor boa pinta se transforma no 2 caras, como todos nós. Só não concordo com uma coisa no filme: anarquia NÃO É caos como o coringa disse!!! ausência de regras e/ou de ordem é ANOMIA! mas afinal, quam nunca teve vontade de sair na rua e quebrar tudo como o palhaço do mal?

Era só isso que eu queria falar.Vejam os filmes, menos o hancok, e não, repito, não estou ganhando nada para falar desses filmes.Só quis comentar porque os achei f.....!!!

abraços libertários!!!

sexta-feira, 18 de julho de 2008

apresentação


Já é o quarto blog que crio, e com o mesmo nome.Isso mesmo, esse é o PENSE e ao invés de ser "tenha VOZ LIVRE" é o "ou vá pro lixo" 4.0.Não penses, meu amigo leitor, que é falta de imaginação, apenas gosto desse novo.
Para começar, vou apresentar-lo ao blog:

-blog, esse é o leitor
-leitor, esse é o blog

Se espera que eu fale de flores e cores claras, está enganado.É melhor ir à outro blog agora, pois aqui, tratarei de carne e tons sombrios, falarei de lixo e sentimentos, de uma lira já sem cordas.
Como estou muito enrolado com o pré-vestibular, republicarei alguns posts antigos.Espero que goste.

minha frase:
"somos quem devemos ser; não um simples um, no meio da multidão, mas alguém"