sábado, 6 de setembro de 2008

Deficientes, ruas e trogloditas


Outro dia estava andando na rua, lá perto da casa da Mariazinha, e vi que um homem numa cadeira de rodas estava tendo dificuldade de entrar no colégio do filho porque não tinha rampa de acesso para portadores de necessidades especiais.Muitas pessoas estavam pasando pelo local e ninguém ajudou.Até que ele desistiu e foi embora.Ai, fiquei pensando como deve ser a vida desse jeito: calçadas esburacadas (não são perigos exclusivos dos idosos e das madames de salto alto); desnivelamento ou falta de inclinação entre a rua e a calçada; poucos prédios e estabelecimentos adaptados (já pensou ter que entrar pela garagem todo dia porque a portaria não tem rampa?); preconceito; e o superávit de trogloditas que fingem não vê-los para não ajudá-los, ou que ficam fazendo piadinha.Sacanagem! E isso não acontece apenas com cadeirantes, mas com outros deficientes motores, visuais, auditivos, mentais, e etc...
E o que eu já ouvi de histórias semelhantes de uma amiga minha popularmente tachada de "cega", é impressionante.Sem falar que a maioria da população pensa que quem possui alguma necessidade especial é um pobre coitado, sem direito à liberdade, autonomia , vivendo às custas somente da boa vontade dos outros.Mas nem todos são assim, há aqueles que não se deixam abater pela limitação de alguma coisa e buscam seu próprio espaço na sociedade, como minha amiga, que nunca permitiu ser reduziada a uma incapaz, lutando firme pela sua integração ao espaço e independência.Então, voltando ao ponto de partida do post, é importante que aquela escola tenha uma rampa para quem precisa.

abraços libertários

ps: alguém se lembra das paraolimpíadas?

10 pessoas leram!:

Amarela disse...

Eu sorrio, e eu não estou sendo filmada, controla...Quando se pode voar, quem pode ver?
Essas histórias de deficientes, de todos os tipos, são vastas. Mas as vezes o preconceito vem da própria pessoa, que se considera inútil. Sei que poucos são assim, e ainda bem. Acho que o nosso colégio, de um certo modo, é um bom exemplo de pessoas deficientes que não desistiram e tb de um relacionamento entre pessoas que tem alguma dificiência e as que não apresentam.

Marina disse...

Estava agora ouvindo uma música (Hey Jude - The Beatles) e uma frase chegou aos meus ouvidos: "You were made to go out and get her". Essa frase ficou ecoando, enquanto eu lia seu texto.

Não importa como você foi feito ou o que foi feito de você. Você deve ir lá fora e vencer. O direito, todo mundo tem. Já a igualdade...

Let's begin to make it better.

Abraço!

HenriqueM disse...

Concordo que essa visão de coitadinhos é totalmente equivocada.
Isso me fez lembrar uma reportagem que tinha emum dos meus livros escolares, que falava de um Físico que contribuiu generosamente com pesquisas.
Ele era cadeirante e com disfunções nos ossos.
Embaixo da fotografia dele, se lia:
"Esse deficiente físico é um eficiente Físico".

Hebertt disse...

Concordo com você ,deficientes fisicos podem fazer tudo que nos pessoas que nos dizemos "normais"façamos. esse preconceito e ridiculo tenho grandes amigos que são deficiente entre termos e fazm tudo sozinho.deficiente mesmo e que tem essa visão ridicula deles

annah disse...

Fico admirada com a força e a perseverança dos deficientes físicos ao enfrentarem as inúmeras barreiras que lhes são impostas, ora por preconceito, ora por descaso.
Essa é uma das formas mais cruéis de exclusão social.

Agradeço pela visita lá no meu pedaço, Pensador. Seja muito bem-vindo! ;))

Grande abraço!

Juliana Oliveira disse...

desculpe a demora, ate tem outras pessoas que lem os meus amigos mas leles tem preguiça de kmt vá etender hahahaah..cara tá muito difícil para mim, fora que esotu enfrentando muuitos probleminhas....do vestibular oa rock arena
me deseje sorte
ah e devemos sim investir nas paraolímpiadas haahah, aliás quando é?
tenho que me informar
tá +
saudações literárias

... disse...

concordo cem por cento com tudo que voce disse nesse texto... acho muito importante essa postura de lutar pela igualdade, pelos direitos. nao so os nossos, mas tambem o das outras pessoas, direitos que nao estariam diretamente nos beneficiando.
e quanto ao texto foi retirado de um livro que fala sobre o punk rock. a historia, os ideais, as pessoas que viveram na epoca... musicos... se voce curte o punk ia ficar louco por esse livro!!! bj

Nanda disse...

Das paraolimpiadas so consegui assistir a abertura...

o que mais me da raiva, sao as pessoas que param o carro na calçada deixando um espacinho mínimo para qualquer pessoa passar. Não digo nem cadeirante, já tive esse problema quando minha sobrinha andava de carrinho. E na maioria dos casos a pessoa subia na calçada sem a MENOR NECESSIDADE. Sempre sobiam so a frente do carro e atrapalhavam o caminho. Essas pessoas devem ser acéfalas.

Nanda disse...

diante das minha atuais projeções, ser dona do meu apê seria algo estupendamente maravilhoso.
Possuir o universo é um projeto futuro futuro futuro futuro...
sobre a fernanda querer ser dona do universo...
acho que é por causa do nome. conheço mutias fernandas com tendencias grandiosas ehehehe

Sobre ainda as paraolimpiadas.. o brasil esculachando!!! so nao ta mais pq o clodoaldo mudou de categoria, se não, meu quiriiiiiido, a china que se cuidasse!!!

Luciana disse...

É mesmo uma vergonha a falta de adaptação das calçadas, a falta de rampas de acesso em vários locais públicos e ainda mais vergonhoso são as pessoas que não colaboram com quem precisa (atravessar uma rua, subir num ônibus, subir numa calçada...). Meu pai tem deficiência visual e eu sei o quanto é difícil pra ele certas coisas... Tá na hora de deixarmos de ser tão egoístas na nossa "perfeição" e ajudarmos o nosso próximo que tem necessidades maiores que as nossas, muitas vezes.
Ótimo post!