quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Simplicidade


Sabe, meu amigo leitor, ou, minha amiga leitora, há aqueles que contam mentiras. Há aqueles que contam verdades. Há aqueles que contam acasos, outros, que contam sonhos. Há quem conte números, ou, que contem os minutos para que uma aula chata acabe. Eu, conto histórias. Sei que você estava esperando um post melhor, como os que escrevia ano passado, mas o começo de um período de 365 dias deixa qualquer um em ponto morto. Então, esse será mais um post de desabafo, o próximo, prometo, será melhor.
Eu, conto histórias, histórias que eu possa chamar reais, histórias minhas, suas, do mendigo da rua, histórias verossímeis. Eu simplesmente, cansei de inventar mentiras, ilusões, cavaleiros, princesas, heróis heróicos, mulheres puras, anjos de crianças, etc etc etc. Cansei.
Prefiro...prefiro...prefiro humanidade. Prefiro carne, prefiro dor, solidão, desilusão e tristeza, não existe felicidade, prefiro cansaço, prefiro fome, prefiro pobreza, os ricos não prestam, prefiro sujeira, mundo é sujo, o esgoto é sujo, sua casa é suja, prefiro prostitutas, prefiro morte, prefiro terror, prefiro loucura, prefiro bruxas, as fadas morreram, prefiro canalhas, não existe homem perfeito, não existe príncipe, nem cavalo branco. Prefiro suícidio, não há salvação, não há escolha, não há destino, só o inevitável.
Prefiro...prefiro...prefiro o que há em nós, em mim, em você. Somos sujos, somos nus, somos cegos, somos assassinos. Somos seres da sexta-feira 13, somos bandidos, somos covardes.
Somos...somos humanos.
E escrevo a humanidade, uma Ode à humanidade.
Eu conto histórias, e você?
abraços libertários

sábado, 7 de fevereiro de 2009


Novo ano. Minhas férias mal terminaram, meu amigo leitor, e já me vejo no grudento tédio de um ano inteiro. De tudo o que ando pensando, o que mais me perturba é se eu sou burro o bastante....burro o bastante para aprender as novas regras de ortografia. veja bem, meu amigo. todos esses anos tive que escrever na marra porque nenhum professor teve a coragem de me ensinar uma única regra de ortografia ou de gramática. Eu admito: não sei português. Porém, mesmo assim, mesmo sendo o burro da classe, aprendi a escrever. E como tenho que reaprender, não sei se tenho mais idade pra isso...Pois é...18 invernos passam rápido. E o que eu nãoi entendo, é que já que tantas coisas foram banidas, por que as aspas também não? Tem quase a mesma utilidade do trema: nenhuma. Eu escrevo como falo, e obviamente não falo: ele me disse abre aspas que....fecha aspas. Não falo, e não irei falar assim. Sei que os academicos da língua lusa concordaram comigo, as aspas devem ser banidas também. tudo deve ser banido! é inútil, como a ocupação do Iraque e...falando no iraque, alguém sabe se esse país ainda existe, digo, se não aparece na glogo, não é verdade, correto? umas trocentas cabeças concordam com esse pensamento estúpido, meio capenga, como anda as pernas de Amy Winehouse. Nada contra ela, eu gostas das músicas dela, mas preferiria que ela deixasse algumas mais antes de morrer. Ebquanto isso, seguimos nossa vida, a ver pelos vitrais renascentistas, toda dor e solidão que há nos gemidos da escuridão.
Post sem sentido, mas o único que me veio na cabeça.
abraços libertários