quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três!

Amigo, amiga, leitor-leitora! quanto tempo! como vai a família? Tenho uma grande oportunidade para VOCÊ! sente-se, isso, ai mesmo, vamos aos negócios.
Já ouvi falar de muitas coisas vendidas no e-bay, no marcado livre.... de lenços de papel usados por seu ídolo, até esposas e carne humana (?!). Nada contra os canibais (afinal, o que é um pouco de carne entre amigos?), mas isso é bizarro! rs
Lanço hoje minha oferta: vendo o Brasil. Um país tropical, eterno país do futuro. tem belas praias, belas mulheres e um pouco de corrupção. traficantes e população burra incluídos. Simplesmente, oferta especial! Não é espetacular? Não estamos falando de um país insignificante, mas um país do Bric (olha, é o primeiro país da sigla, não é importante?), produtor de petróleo e exportador de suco de laranja e dinheiro público para contas na Suíça! Fabuloso! e quanto custa? Aí está a promoção! quem der o maior lance, leva! exatamente isso! e você pode parcelar em 35.000.000.000.000 vezes que não tem problema, é capaz de nem se lembrarem que você está devendo, mas que o Brasil deve a você! Não é sensacional? ah, também há vastas áreas de mata nativa a serem exploradas e outras de soja, para plantação de maconha e afins!
Então, quem dá um lance?
dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três!

Pensamento do Dia: se Bill Gates morasse no Brasil, nunca seria o homem mais rico do mundo.

Pensamento da noite: Se Lula & Cia (câmara, senado e vendedor de sacolés) querem ganhar muito, ao invés de aumentarem seus salários, por que não se tornam jogadores de futebol? em um ano de trabalho ganhariam mais que um mês de roubalheira, sem contar os patrocínios, as mulheres, os carros....

abraços libertários

domingo, 5 de abril de 2009

Sítio do pica-pau amarelo


- Ora Seu Vaso, não é assim - disse Emília - é claro que porcos falantes existem, lembra do Marquês de rabicó?
- Emília, sua boneca de pano destrambelhada, ele não é real, é faz-de-conta! porcos não falam na vida real. - disse eu
- Ah é? - ameaçou Emília - é só fazer faz-de-conta, quer ver? vou te mostrar com meu pó de pimrilimpimpim

Ah! meu amigo leitor, minha amiga leitora, hoje voltei a minha infância!
Imagine, que, por acidente, recebi aqui em casa, num pacote meio-velho-meio-novo, com ares de pós de décadas um livro do meu escritor favorito em criança: Monteiro Lobato.
Ah!
Nesse meu tempo pós-moderno, cronometrado, sintetizado, digitalizado, parei uma meia horinhazinha para degustar em conpanhia de Emília, que está agora me azucrinando aqui do lado, Não tô Não!, o Visconde de Sabugosa, sentado na minha estante remexendo meus livros, Pedrinho e Narizinho, Tia Nastácia roncando, e Dona Benta costurando uns remendos em algumas roupas minhas - que vergonha!. Os outros personagens estão por aqui em casa nalgum lugar - nem quero ver a bagunça!
Ah!
Sou criança novamente, em meus verdes-verdes anos,
época doce,
e hoje impossível.
Ah!
vejo que estou velho, velho por ser nostalgico, sentado na varanda bebendo maracujá vendo o sol morrer por uma noite e sonhar acordado, velho, as crianças não terem mais infância como tive, velho, na geração fast food, velho, num mundo reality show, BBB - Big Bosta Brasil. Quem vai ganhar um milhão? - só se for no c*!
ah!
Tudo descendo no rodamoinho de merda da privada
ah!
Velho!!
ah!
[suspiro]
Neste dia morto digo Tchau,
para uma lembrança que se apagará daqui a....
cinzas ao vento....
abraços libertários