quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Publicar ou não publicar?


Quem aqui nunca sonhou em publicar um livro levante a mão. Quem nunca aqui já tentou escreveu um livro? pois é, eu tive a infelicidade de escrever um.
Mas sabe o que percebi? Se Machado de Assis vivesse hoje ninguém iria publicar seus livros porque autor estreante não é garantia do retorno do investimento. E por causda disso ele teria que pagar a publicação, e como era pobre, não conseguiria e portanto, perderíamos um grande marco nas nossoas letras.
As editoras querem best-sellers, modinhas, literatura esdrúxula que povoam as livrarias sobretudo para as adolescentes. cada ano eles conseguem achar uma bobagem diferente que gera milhões de reais para essa rede (editoras/livrarias).
Enquanto isso, quem deseja um livro sério, como os autores do passado, se ferra!
Meu leitor, sabe quanto é que eu teria que pagar pelo meu livro??? R$7100, 00 por 500 exemplares! e inda teria que me virar em vender!
Sabe quando é que eu veria tanto dinheiro?? só depois de velho!
e outra: quem é que compra livro na mão de amigo ou desconhecido? Não, o negócio é comprar nas livrarias!
Pra que fui me meter a escrever?
Como Clarice Lispestor, quando eu não escrevo sinto que estou morto. Escrever é um prazer inigualável!
Mas se cada vez que eu desejar publicar um livro for essa maratona atrás de editoras e no final ter que pagar minha publicação, eu desisto. E tudo poruqe faço parte da população brasileira que não tem grana aos montes e por isso a vida é tão dificil!
abraços libertários

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Férias, vestibular e livro

Bem, aqui estou eu depois de semanas de ausência. E aí, que fizeram?
Depois que se termina o ensino médio, depois daquela euforia louca de nunca mais acordar cedo pro colégio, bate a nostalgia e finalmente o tédio.
E o pior de tudo é a grana curta que não cura o cansaço.
Se bem que essas férias são bem incomuns, como fazer prova de vestibular em janeiro, por exemplo. Sem contar as n maneiras de passar o tempo que tenho desenvolvido (crianças, não tentem isso em casa).
Livros tenho lido muitos, dos mais interessantes aos mais chatos, como o código penal brasileiro.
E finalmente, eu, a pessoinha que vos fala, anda batendo de porta em porta à procura de editoras. Quando você é um jovem idealista e com a cabeça de idéias, com aquela vontade doida de mudar o mundo e ser alguém, nunca pensa como é fácil escrever um livro e como é difícil publicá-lo! Você pensa que será recebido como um marajá e implorarão para que você os deixe publicar sua magnífica obra!......... mas não é assim.
Cabe a você depois se conformar que é um zé ninguém.
Enquanto isso a vida segue...